Como fazer Goma Bicromatada em Três Cores - A Cópia (parte 4/4)

26-Jan-2017

Ufa, depois de passar pela PARTE I - A HISTÓRIA, a PARTE 2 - O NEGATIVO, e a PARTE III – a QUÍMICA, chegamos enfim ao tão esperado momento do "Como fazer goma bicromatada em Três Cores": A IMAGEM PROPRIAMENTE DITA!

 

Pra essa etapa você vai precisar de:

 

- Os seus negativos já impressos
- Os químicos já preparados
- Papel de aquarela (recomendamos o Montval Aquarelle)
- Pincel extremamente macio (os que são chamados de "seda")
- Fita adesiva de baixa aderência (aqui usamos a “magic tape”da 3M)
- Uma bandejinha pra vc misturar o dicromato com a goma
- Fonte de luz uv
- 2 chapas de vidro ou acrílico
- 2 grampos de marceneiro ou algo similar para prender as duas chapas de acrilico
- Frasco graduado pequeno ou conta gotas ou seringa de 5ml (sem agulha)
- Bandeja de pelo menos o tamanho do papel para lavar a imagem
- Fonte de água corrente

 

PRIMEIRA ETAPA: ENCOLHER O PAPEL

 

Isso é importante para que o papel não sofra encolhimento entre a aplicação das camadas, o que ocasionaria erro de registro

- aqueça um pouco de água, suficiente para cobrir a quantidade de papéis que vc pretende usar. Coloque na bandeja maior (de lavagem) e vá colocando os papéis um a um dentro da água. Aguarde 30 minutos, retire os papéis e coloque-os para secar.

 

 

 

SEGUNDA ETAPA: SELAR OS PAPÉIS

 

Isso é importante para evitar que o pigmento penetre muito nas fibras do papel e ocasione manchas. Você vai usar a “Solução 3 – Selador” preparada anteriormente

- Coloque um pouco da solução na bandeja menor e pincele em todo o papel a ser usado. Não precisa ser uma camada muito grossa, apenas o necessário para cobrir o papel. Coloque os papeis para secar novamente.

Obs: lave o pincel imediatamente após, pq se a cola secar provavelmente você vai perdê-lo

 

 

 

TERCEIRA ETAPA: PRIMEIRA CAMADA DE COR

 

Agora que a cola já secou no papel, vamos enfim começar a imprimir.

 

 

Misture na bandeja menor a Solução 1.2 - Goma Colorida (recomendamos sempre começar com o ciano) com a mesma quantidade de Solução 2 - Dicromato de Potássio em local com pouca luz (aquela recomendação de até 20 watts de uma lâmpada incandescente)

Existe uma cálculo bom de quantidade de 2ml de goma + 2ml de dicromato POR FOLHA A4.

Você pode se basear nessa quantidade, porque uma vez que a goma e o dicromato estejam misturados, devem ser utilizados imediatamente. Se passar muito tempo (30minutos mais ou menos), a mistura deixa de funcionar.

Ou seja, a melhor coisa é ir misturando aos pouquinhos, conforme o seu uso.

 

Ok, misturou as duas soluções? Então aplique no papel com o pincel, em movimentos certeiros e precisos. Não fique indo e voltando muito com o pincel e também não faça uma camada muito grossa. A goma é bem viscosa e seca rápido. No inicio é meio desesperador, mas depois vc pega prática e dá tudo certo.

Coloque seu papel pra secar mais uma vez em local escuro.

 

Quando estiver seco, coloque o negativo sobre o papel e....

....leve para exposição a luz uv.

 

O tempo de exposição vai variar de acordo com a sua fonte. Até é possível fazer no sol, mas ele é muito instável, então vc não consegue estabelecer parâmetros.

O ideal é ter uma mesa de uv ou pelo menos uma luminária com luz negra (sim, aquela de boate! Aproveita e dá uma festa quando conseguir a primeira imagem)

Bom, estabelecido o tempo, exponha a sua imagem com o negativo feito a partir do canal vermelho (q você nomeou como negativo ciano) à faça um sanduíche com um vidro embaixo, o papel emulsionado, o negativo e o outro vidro por cima. Prenda com os grampos para marceneiro.

 

Depois da exposição coloque na bandeja cheia de água e deixe uma torneira fraca aberta, sem que a água caia diretamente sobre a imagem. Comece com a imagem vom a face voltada pra baixo.

 

 

Espere alguns minutos até a goma não exposta começar a descolar do papel.Se sair muito rápido, significa que foi pouco tempo de exposição e provavelmente toda a imagem vai se dissolver. Se demorar muito a sair, foi muito tempo de exposição e vai ser difícil (ou ate impossível) lavar a imagem.

 

 Quando estiver suficientemente lavada, ponha o papel para secar.

 

 

QUARTA ETAPA – SEGUNDA CAMADA DE COR

 

Agora vamos fazer EXATAMENTE a mesma coisa que fizemos com o pigmento azul, mas com o pigmento AMARELO:

Mistura as soluções, pincela no papel, põe pra secar...

 

 Dicromato + Goma Amarela

 Papel emulsionado de amarelo, após a impressão do azul

 

E agora que começa nossa aventura de verdade, amiguinhos: Posicionar o segundo negativo sem perder o registro da imagem anterior.

 

Se por acaso o encaixe não ficar certinho, vai dar aquele efeito de “desfocado” que não tem como consertar.

 

Existem muitas técnicas pra isso, algumas pessoas usam molduras nos negativos, outros colocam marcas de registro, outros furam com alfinetes todos os negativos ao mesmo tempo. Aqui no Lab nós aproveitamos a bordinha criada para colocar o “nome” da camada no negativo (lembra que explicamos ?) Ajuda bastante!

 

Mas o que ajuda de verdade é seu olhar atento e prática... nada melhor que isso.

Pegue um dos vidros, prenda o papel emulsionado com a fita adesiva e comece o trabalho de paciência e atenção para posicionar o segundo negativo.

Quando vc estiver certa de que está bem posicionado, prenda também ele com fita adesiva.

Coloque o outro vidro por cima, prenda com o grampo de marceneiro e leve para exposição a luz UV.

Terminado o tempo, desmonte o conjunto de vidro e leve seu papel para lavar e observe a segunda camada aparecendo.

Ponha para secar