Nadar: a expressão mais surpreendente de vitalidade na fotografia

Você que acompanha o blog do Lab Clube sabe que a gente tem verdadeira paixão pelos pioneiros da fotografia! Essa gente louca, visionaria e claro, dotada de um conhecimento verdadeiramente enciclopédico, versados em física, química, matemática e etc, e que nos trouxeram as mais diversas invenções.

Essa figura da qual vamos falar hoje, embora não tenha inventado exatamente um processo fotográfico, foi importante e esteve presente em vários momentos históricos e decisivos, quase um Forrest Gump da fotografia! Ladies and Gentlemen, é com muito orgulho que apresentamos agora o Senhor Nadar.

Hoje, 06/04, ele completaria 198 anos, e todos, tenha certeza, muito bem vividos!

L'autoportrait Tournant - Animação feita a partir de 12 autorretratos feitos em 1865

Nascido em Paris em 1820, apenas 6 anos antes de Niépce conseguir realizar a primeira fotografia (link aqui sobre o assunto), Gaspard-Félix Tournachon, conhecido pela história como Nadar, cresceu junto com a burguesia francesa e acompanhou todo o desenvolvimento da fotografia. Dono de uma personalidade intensa e inquieta, como bem disse seu amigo na época, o poeta Charles Baudelaire: “Nadar, the most astonishing expression of vitality” ("Nadar, a expressão mais surpreendente de vitalidade" via google translator) era extremamente vaidoso, mas bastante gregário também, ou seja, conseguiu reunir sempre ao longo da sua vida muitas pessoas interessantes a sua volta.

Nadar abandonou a faculdade de medicina em Lyon quando a empresa de seu pai foi a falência e passou a se dedicar a desenhar caricaturas. Fez fama trabalhando em revistas e jornais satíricos, já retratando as personalidades da época.

Capa do "Journal Amusant " com desenhos de Nadar

1853

Nadar aprende a fotografar e seu grande interesse passa imediatamente a ser os retratos. Ele buscava “capturar a essência” do seu objeto, tentando deixar todos muito a vontade em seu estúdio, de forma que “esquecessem” que estavam sendo fotografados, tarefa bastante ingrata quando tinha que posicionar a gigantesca câmera no tripé, com um pano preto em cima na frente do seu fotografado.

Paul Gustav Doré por Nadar em 1855

1854

Cria seu primeiro e ousado projeto: O Pantheon-Nadar - Um enorme painel em litografia com caricaturas dos mais proeminentes artistas, escritores e intelectuais da França. Quando ele começa a preparar o segundo painel, passa a usar os retratos tirados como base para o desenho. Também por conta disso, suas fotografias eram menos posadas e mais espontâneas que as fotografias de estúdio feitas na época, criando assim uma primeira modificação na linguagem fotográfica. Personalidades como Gustave Doré, Charles Baudelaire, Eugène Delacroix, Victor Hugo, George Sand, Alexandre Dumas, Sarah Bernhardt, Jules Verne, Honoré de Balzac, Manet, Monet ficaram em frente a sua câmera e apareceram no Pantheon-Nadar.