A pergunta que não quer calar: Citrato VERDE ou MARROM? Qual a diferença? - Parte 1

5-Jul-2019

Dos vários assuntos que poderíamos começar a conversar sobre Cianotipia, escolhi este, assim... bem polêmico. É que na explicação que rola uma química gostosa…

 

Mas primeiro de tudo, antes de iniciar nossa troca de ideias neste artigo, quero começar por um ALERTA: nem tudo que se passa nos processo de cianotipia foi 100% elucidado quimicamente, ok? Pois é… isso é muito importante de ser falado! Do ponto de vista cientifico ainda não temos resposta pra tudo!! Nem todas as reações, nem todos os porquês e nem todas as informações sobre os compostos presentes na cianotipia foram totalmente elucidados… e os citratos são ótimos exemplos desse fato. 

 

 

Então vamos começar!

Sempre rolam aqueles papos que o Citrato Verde é melhor que o Marrom pra fazer cianotipia...

Já outros defendem que não veem diferenças... que é lenda....

E no final ninguém fala de verdade das diferenças do ponto de vista químico.

Mas que tem diferença tem, né? A começar pela cor dos compostos!

 

Figura 1: Diferença de Citrato Verde e Marrom 

 

E quais são as principais diferenças?

Os citratos usados para Cianótipo, seja o verde ou o marrom, apresentam diferentes quantidades de Ferro, do Citrato e de íon Amônio. (Citrato Férrico Amoniacal, lembra?)

 

Os estudos científicos indicam que estes íons quando se juntam para formar o composto verde ou o marrom estão organizados de maneira diferentes em um e no outro, gerando estruturas diferentes e isso vai gerar a cor diferente, a fotossensibilidade diferente entre os Citratos Verde ou Marrom.

 

E por fim a parte que interessa: como tudo isso é diferente, SIM, vai fazer diferença usar um ou outro na hora de fazer  Cianótipos!

 

 

Figura 2: Diferença de Citrato Verde e Marrom aplicados no papel

 

Como essa é uma longa história, nessa primeira parte vamos começar bem do começo: vamos falar da Fórmula Molecular do Citrato Férrico Amoniacal Verde e Marrom! O post de hoje vai ser só sobre como ela influencia no seu Cianótipo! E atenção que não estamos falando aqui da fórmula das soluções, por exemplo: 25g de Citrato em 100ml de água. Não é essa formula agora, ta?

 

“Qual a fórmula estrutural do Citrato Férrico Amoniacal?” as pessoas, e sobretudo esse "povo da química" costumam adorar uma fórmula, mas a noticia não é tão boa: A fórmula estrutural dos citratos usados na cianotipia não foi 100% elucidada. Nem a do citrato verde e nem a do citrato marrom.

 

E como se chega na fórmula de uma substância? Precisamos de essencialmente duas informações:

 

1-    Como ela foi sintetizada?

2-    Analisar a substância utilizando diferentes técnicas.

 

 

E o que é uma fórmula estrutural?  É uma maneira de descrever como os elementos químicos estão organizados e em que quantidade eles se combinam para formar uma substância.

De maneira geral a fórmula dos dois citratos seria essa:

 

 Figura 3: Proposta de fórmula estrutural dos citratos férricos amoniacais.

 

 

Como a fórmula dos dois citratos ainda não foi 100% esclarecida, não sabemos EXATAMENTE a QUANTIDADE de ferro, quanto do íon amônio e quanto do íon citrato fazem parte dessa substância. E também não sabemos exatamente COMO as moléculas estão organizadas (a estrutura química da substância).

Portanto uma boa maneira de descrever tanto o citrato verde quanto o citrato marrom é utilizando os índices x, y e z, que deveriam indicar com um número e não com letras, quantos átomos de ferro, quantas moléculas do íon amônio e quantas moléculas do íon citrato estão presentes na molécula do citrato férrico amoniacal.

 

Então o que significa usar o  x, y e z?

Significa que a quantidade de ferro, amônio e citrato em cada um deles é diferente A CADA NOVA SÍNTESE (Produção do Composto)

Por isso que quando você faz buscas pela internet pra saber a fórmula estrutural elas aparecem assim....

 

No Citrato Marrom, que foi o primeiro a ser conhecido e usado por Herschel desde 1840 para fazer a cianotipia, existe uma variação de 19-28% de ferro. Isso quer dizer que ao ser produzido no laboratório, o composto pode apresentar 19% de ferro. E quando o estoque de vendas da indústria química acabar e ela for produzir mais citrato marrom pra vender, o novo citrato sintetizado pode apresentar 28% de ferro. Ou qualquer outro valor entre 19-28.  E está tudo certo! Pois está dentro da faixa de variação aceitável.

O negocio é o seguinte: cada vez que os citratos são sintetizados nos laboratórios das indústrias químicas, são realizados testes de controle de qualidade antes das vendas. E nos resultados dos testes de qualidade ele apresenta, a cada vez que é sintetizado, uma quantidade de ferro diferente. Chamamos isso de “variação de ferro".

 

 Figura 4: Citrato Férrico Amoniacal Marrom

 

O mesmo raciocínio é válido para o citrato verde. Ele só foi obtido muitos anos depois em 1897 por Eduard Valenta, e os resultados dos estudos mostraram que a quantidade de ferro, no caso do citrato verde, pode variar de 14 – 18% de ferro.

Então quando a gente compra o composto em pó pra preparar as soluções para emulsionar os papéis, no rótulo sempre vem a informação da “variação de ferro".

 

Figura 5: Citrato Férrico Amoniacal Verde

 

Quer dizer que a diferença na fórmula dos citratos é a quantidade de ferro de citrato e do íon amônio em cada um deles?

 

Sim é isso (mas não é só isso, tá?!!)

 

Depois de prontos, fazemos a analise de dosagem de Ferro (Absorção Atômica) , dosagem de carbono de Hidrogênio, Nitrogênio e de Oxigênio nas amostras (CHNO).

E a cada lote de toneladas de citratos sintetizados, os resultados variam sempre.

 

Tá... mas e dai? O que isso tem a ver com a minha cianotipia?

Tem tudo a ver!

As diferentes quantidades de cada íon vão influenciar diretamente na concentração das soluções que são usadas para fazer os cianótipos (solução A e solução B).

 

Vamos considerar que você está usando o citrato férrico amoniacal verde e que ele apresenta 14% de ferro. Isso quer dizer que dos 20g que você pesou, 2,8g foi de ferro. Mas se o citrato verde que você comprou tiver com 18% de ferro, quer dizer que você pesou 3,6g de ferro. Ou seja, pesando os mesmos 20g você pode estar pesando diferentes quantidades de ferro. Visualizou?

 

Mas de novo... e dai?

É que o ferro que vem do citrato (solução A) que você pesou, reage com o ferricianeto (solução B) para formar o Azul da Prússia. Então as duas soluções devem estar com as quantidades adequadas de reagentes.

 

Se tem muito ferro do citrato da solução A, precisa ter muito ferricianeto na solução B. Ai vai ficar um azul lindo!

Caso tenha mais ferro do citrato na solução A e falte ferricianeto na solução B dá um problemão... (mas é assunto pra outro post)!

 

Se tem pouco ferro do citrato na solução A, e sobrar ferricianeto na solução B, você vai conseguir um cianótipo bem desbotado, pois pouco reagente vai gerar pouco produto, que é o pigmento azul que vc precisa.....

 

 Figura 6: Amostras de Citrato Verde e Marrom, de diversos fabricantes para análise de dosagem de ferro

 

Portanto pra concluir:

 

Cada vez que você comprar seu citrato, você pode ter que mudar a receita da sua solução A e se for preciso vai ajustar a receita da solução B.
E para fazer isso tem que sacar bastante de Cianotipia, tem que compreender os testes práticos como os que são feitos no Lab Clube, ora fixando a concentração de citrato férrico da Solução A e variando a concentração do ferricianeto da Solução B, ora o contrário, e saber ler na prática os resultados, o que requer intimidade com o processo de Cianotipia. E a partir daí, então, a cada compra de citrato férrico em pó realizada, chegar na proporção ideal entre as duas soluções que serão utilizadas por você.
Então, a rigor, sem essa de que basta comprar qualquer citrato e seguir a “receitinha “ disponível na internet ou nos livros. Fazer simplesmente assim, seja usando o citrato verde ou o marrom, vez ou outra vai te trazer problemas, ah se vai...
Bom, e se você compreendeu o que o que foi dito acima, fica fácil entender que como o citrato verde possui menor variação do percentual de ferro, menor será a chance de erros na proporção entre os reagentes durante o preparo das soluções A e B.Se você não faz ou não sabe fazer os testes para ajuste das proporções e se guia só pela “receitinha” para solubilizar os químicos e fazer seus cianótipos, usando o citrato verde menor é a chance de erros né? ;). PROVAVELMENTE vem dai UMA das origens de que usar o citrato verde pode ser melhor, pois vai facilitar o trabalho.

 

Se você compra a solução pronta, a pessoa que vende tem que saber dessas coisas pra fazer os ajustes necessários.

Todas as contas que eu citei são válidas para o citrato marrom e para o citrato verde.

Se você mudou o fornecedor das suas soluções, ou marca do seu citrato em pó, a variação de ferro pode mudar, e, portanto as concentrações das suas soluções devem ser ajustadas.

Agora que você já sabe disso, não é mais para pensar:

“O que eu fiz de errado?”

“Poxa... me venderam um citrato ruim...”

“Essa receita da internet que eu encontrei tá furada, a receita do outro blog é melhor....”

Ou outras paranoias...

Nada disso.

 

Você deve apenas saber que a formula molecular do citrato não foi definida desde 1840 até hoje então você deve entender que é preciso ajustar as receitas para que tudo dê certo. 

 

Agora que você já sabe da diferença das fórmulas estruturais dos citratos, vamos dar o próximo passo:

Talvez agora você esteja ai excitado se perguntando: mas por que ocorre essa variação de ferro?

Isso tem relação direta com a síntese dos compostos, ou seja, como os citratos são obtidos nos laboratórios.

 

Mas, como Rola uma Química, isso será assunto do nosso próximo encontro, ops, post porque isso também vai influenciar e muito nos resultados dos seus cianótipos...

 

Beijos e até breve!!

 

 

 

Please reload

Recomendados