Daguerre - Um Gênio ou um Aproveitador?

Hoje, 18/11, seria o aniversário de 232 anos de Louis Jacques Mande Daguerre, o inventor "oficial" da fotografia.

Foi a criação dele, o Daguerreótipo, que foi comprado pelo governo francês em 1839 e “doado a humanidade” o que acabou se configurando como a invenção oficial da fotografia, embora muito antes, em 1826, o também francês Niépce já conseguisse obter e fixar imagens em uma superfície . (Se você quiser saber mais sobre isso, já falamos aqui https://www.labclube.com/single-post/2015/08/19/Olha-o-passarinho)

Mas não é essa historia que queremos contar agora. Queremos falar da polêmica que envolve a sua parceria com Niepce...

daguerre

Daguerreótipo de Daguerre - feito por Pierre-Ambrose Richebourg ca. 1844 (acervo Metropolitan Museum of Art)

Em muitos livros sobre a historia da fotografia, ele é colocado como um espertalhão, um aproveitador dos conhecimentos de Niepce e que, por ser homem de negócios rico e poderoso, acabou levando todos os méritos pela invenção. Essa fama ganhou ainda maiores proporções quando, em 1841, o filho de Niepce, Isidore Niepce, publicou um livro chamado “Historique de la découverte improprement nommée daguerréotype, précédé d’une notice de son véritable inventeur Joseph-Nicéphore Niépce"

ou "História da descoberta chamada daguerreótipo indevidamente, precedida por um registro de seu verdadeiro inventor Joseph-Nicéphore Niépce " --> via google translator

:)

Em cerca de 80 páginas ele descreve como seu pai foi enganado pelo esperto Daguerre, acusando-o de usurpador de todo o conhecimento de Niepce.

Mas será que foi isso mesmo? Você pode ler a história abaixo e tirar as suas próprias conclusões.... Saiba que essa é uma polêmica entre os historiadores..

Bernard Marbot, conservador chefe do departamento de estampas e fotografia da Bnf resume um amplo consenso: "A contribuição de Niépce é considerável, a de Daguerre, irrisório”. (no livro Histoire de la photographie, Jean-Claude Lemagny e André Rouillé)

Mas também existe um site inteiro dedicado a retirar detalhes da comunicação entre os dois, provando que Daguerre deu sim contribuições importantíssimas a Niepce: http://www.niepce-daguerre.com/conseils_de_Daguerre.html

Bom, vamos voltar lá em 1826 quando Niepce conseguiu obter e fixar a primeira imagem fotográfica da história a partir da janela de seu estúdio, num processo que ficou denominado Heliografia.

niepce

Niépce e duas versões da primeira foto "Point de Vue Du Gras": a heliografia original e a escaneada e tratada

Na mesma época, Daguerre já estava envolvido e era bem sucedido com o Diorama

O Diorama de Daguerre consistia de uma tela de gaze espessa pintada dos dois lados, que quando iluminada pela frente, a cena era apresentada num determinado estado, e quando a iluminação era feita por trás, um outro estado ou aspecto da cena podia ser visto. Cenas à luz do dia mudavam para cenas noturnas, um trem trafegando numa estrada de ferro colidia, ou os efeitos de um terremoto eram exibidos nas situações "antes e depois". (da wikipedia)

Diorama de Daguerre

TROMPE-L'OEIL. Peint par Louis Daguerre, ce décor a été inauguré en 1842.

Stéphane Lagoutte/Andia pour L'Expres

Único Diorama original preservado ainda hoje em Bry-sur-Marne - França

Portanto, ambos se utilizavam de câmeras obscuras e consequentemente demandavam lentes e materiais óticos. Coincidentemente, era Vincent Chevalier o ótico que atendia aos dois e foi ele quem contou a novidade a Daguerre. Mas não apenas isso, também lhe passou o endereço de Niepce. Daguerre não perdeu tempo e logo se comunicou com Niepce. Conseguiram se encontrar rapidamente em 1827 durante uma passagem de Niepce por Paris, simpatizaram muito um com o outro e começaram a trocar correspondências. Mas apenas em 1829 Niépce propôs a Daguerre de formarem uma associação para o desenvolvimento da Heliografia. O contrato foi assinado em dezembro de 1829 e ambos começaram a pesquisar mais a fundo as possibilidades do processo que tinha por base o uso de Betume da Judéia. Nessas pesquisas acabaram por inventar em conjunto um novo processo chamado Physautotype (SAIBA MAIS EM BREVE POR AQUI).

Acontece que pouco tempo depois, em julho de 1833, Niepce tem um derrame e falece aos 68 anos.